‘O Getterson morreu por dentro’, diz capitão sobre dispensa do atacante

Getterson (à dir.) posa para foto ao lado de Cueva, no CT tricolor, antes de ser dispensado
Getterson (à dir.) posa para foto ao lado de Cueva, no CT tricolor, antes de ser dispensado

“Imagina o psicológico do Getterson agora. O garoto chegou no São Paulo, acertou tudo, posou para foto e desistiram da contratação por algo que ele escreveu em 2011? Ele morreu por dentro.” A declaração forte é de Valdomiro, ex-atleta da Portuguesa e líder do elenco do J. Malucelli desde o início da temporada.

O atacante de 25 anos acabou dispensado pelo Tricolor nesta quarta-feira, horas depois de ser anunciado como reforço. O motivo: ter admitido em sua conta no Twitter, cinco anos atrás, que torcia pelo Corinthians e chamar o São Paulo de Bambi.

“Para ele se recuperar psicologicamente, vai demorar”, avalia Valdomiro, lamentando o desfecho do negócio. “Não é justo pegar algo que aconteceu em 2011, numa época em que o garoto não imaginava que chegaria em um clube grande”, acrescenta.

Getterson já rodou por diversos clubes até chegar ao J. Malucelli e nunca conseguiu muito brilho. Ainda assim, Valdomiro é capaz de apostar que ele daria certo no São Paulo. “Tenho certeza de que não há um jogador de lado de campo com a qualidade e a força do Getterson no São Paulo.”

Uma das principais características do atacante é a recomposição. “Ele daria muito certo sob o comando do Bauza, porque volta para marcar o lateral e aparece com a mesma força no ataque.”