Operação Salazar prende 16 indivíduos de facção criminosa

Da redação

Operação Salazar, deflagrada ontem (19) pela Dise (Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes) de São Bernardo prendeu 16 pessoas na Baixada Santista e também no Interior do Estado ontem. Entre os presos, está Fabiano Robson dos Santos Freitas, integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital), que mantinha contato com facção criminosa que atua na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro.

De acordo com informações do delegado seccional de São Bernardo, Algo Galiano Júnior, responsável pela Operação Salazar, Fabiano – conhecido como Negão da Baixada, Febem e Salazar – era o único que tinha contato com representantes da ADA (Amigos dos Amigos), uma das três maiores facções criminosas do Rio. Ele foi encontrado na Praia Grande, litoral de São Paulo, e já tinha passagens na polícia por tráfico de drogas.

As prisões são resultados de oito meses de investigações. A ligação entre as duas facções foi confirmada em escuta telefônica. São dadas três hipóteses para esta situação, segundo o delegado:

  • Por conta da situação difícil no Rio de Janeiro, a ADA precisava de dinheiro para sustentar a ação de ontem;
  • A ADA precisava vender drogas para arrecadar dinheiro em São Paulo; ou
  • A ADA queria trazer drogas escondidas para São Paulo, a afim de não ocasionar apreensão de grande porte.

Ainda segundo o seccional, a partir dos 30 telefones celulares apreendidos na ação, além de computadores e contabilidade, será possível obter mais informações e desenvolver a segunda fase da investigação. Também foram apreendidas cinco armas, quatro delas na Praia Grande, e uma em Cananeia, além da quantia de R$ 25 mil em dinheiro.

Os principais elementos para as prisões de ontem foram conhecidos durantes operação realizada em março, chamada de SubZero, que resultou na prisão de oito pessoas, inclusive de um líder do PCC em Diadema.