Países ajudaram o Brasil na prisão de suspeitos de terrorismo

Da redação

pfA prisão de dez suspeitos de planejamentos de atos terroristas na Olimpíada contou com a ajuda da inteligência de outras nações, por meio do repasse de informações, segundo o Ministro da Justiça Alexandre de Moraes.

Foi ressaltado pelo Ministro que o grupo era amador e que os integrantes nem se conheciam pessoalmente, exceto dois homens que já haviam sido presos juntos.

Existe um grupo da Polícia Federal que volta o foco especialmente a essas questões de combate ao terrorismo, chamado Centro Integrado Anti-Terrorismo (Ciant), que ainda recebe informações de países como: Estados Unidos, França, Bélgica, Inglaterra, Argentina e Paraguai.