Paralisação de linhas metropolitanas persiste no ABC

Da redação

Campinas_-_Rodoviária_001Os profissionais das linhas de ônibus das empresas Eaosa e Ribeirão Pires estão em greve desde o final da tarde de ontem (12). A paralisação é motivada pelo atraso no pagamento dos salários de junho. A paralisação afeta 25 mil pessoas que, diariamente, usam esse meio de transporte intermunicipal em 18 linhas, nas cidades de Ribeirão Pires e Mauá.

Em nota, a EMTU/SP disse que “monitora o movimento dos motoristas e cobradores das empresas EAOSA e Ribeirão Pires, que paralisaram a operação no final da tarde desta terça (12), segundo o sindicato da categoria, por falta de pagamento dos salários”.

A EMTU/SP sugere alternativas operacionais para que o usuário do transporte intermunicipal seja afetado o mínimo possível em sua mobilidade. As opções envolvem linhas municipais, a linha 10 da CPTM e as linhas da empresa Rigras, que fazem itinerário semelhante e serão reforçadas.