Pesquisa mostra que para casar até pode torcer para o time rival, mas não pode ser oponente político

DARBJOSXBAZ2016010616390806012016Da redação

Da redação

Segundo pesquisa realizada na semana passada pelo site de relacionamento Coroa Metade – idealizado pelo jornalista e cronista Airton Gontow, a rivalidade das arquibancadas não passou para o campo do amor, mas as divergências políticas sim.

Pesquisa voltada para pessoas a partir dos 40 anos de idade – 1421 mulheres e 1052 homens, mostrou que 99,4% das mulheres se casaria com alguém que torcesse para o maior rival do seu time, enquanto 98,7% homens o faria.

O levantamento mostra ainda que 72,5% dos homens é a favor do impeachment da presidente Dilma, contra 58,95 das mulheres favoráveis.
Porem, quando a pergunta é sobre relacionamento com uma pessoa que pensasse completamente diferente nesta questão a resposta é mais pareada. 72,8% dos homens responderam que sim – não se relacionariam com quem pensasse o contrário, enquanto 71,8% das mulheres. Por outro lado, 18,4% dos homens teriam um relacionamento independente da divergência política, e 16,1% das mulheres o faria.

A pesquisa mostra ainda que 54,27% dos homens mudaria de estado por um grande amor, enquanto apenas 42,93% das mulheres o faria. Quando a mudança é de cidade, os homens são ainda mais maleáveis. Pesquisa aponta que 58,46% dos homens mudaria de cidade por um grande amor, enquanto apenas 48,34% das mulheres o faria.