Crédito: PMSBC

Com o sistema de saúde de São Bernardo do Campo podendo enfrentar um colapso ainda nesta semana, o prefeito Orlando Morando (PSDB) afirma que a situação é dramática, critica as pessoas que continuam frequentando bares e locais com aglomerações e alerta: “Vai morrer gente em casa sem ar. Ou as pessoas nos ajudam ou o poder público não dará conta da situação”.

“Muito provavelmente a partir de quinta ou sexta-feira, não teremos mais onde colocar vítimas da covid-19”.

Em entrevista ontem à BandNews FM, ele pediu medidas mais rigorosas no estado de São Paulo, comparando a possibilidade de um colapso como aconteceu em Manaus. “O que vimos em Manaus, aconteceu num local com 3 milhões de pessoas. O risco que nós temos é de ter a mesma situação que num estado com 40 milhões de pessoas” e defendeu um “lockdown total” de uma semana. Orlando cita o caso de Araraquara, que implantou a medida, e conseguiu frear a pandemia após fechar todo o comércio. O prefeito falou ainda que “o Brasil pode virar uma carnificina“, se medidas não forem tomadas.

Morando diz que as pessoas continuam saindo sem necessidade. “Parece que as pessoas têm prazer em sair de casa. Tenho sido rigoroso com o Plano SP, mas mesmo com o comércio fechado a movimentação está grande. Na fase verde, 130 mil passageiros/dia estavam usando o transporte público. Nessa última segunda-feira (8), com o comércio fechado, 120 mil pessoas pegaram o ônibus. Tem alguma coisa errada”.

Veja a entrevista completa:

Deixe uma resposta