Prefeitura de São Bernardo capacita 200 pessoas nos cursos de Padaria Artesanal e Construção Civil

Missão cumprida, por ora. Com esse sentimento que a Prefeitura de São Bernardo, por meio do Fundo Social de Solidariedade (FSS), promoveu, na noite de ontem (17/10), a formatura dos cursos de Padaria Artesanal e Construção Civil, que beneficiou 200 pessoas em situação de vulnerabilidade social. O evento contou com a presença do prefeito Orlando Morando, da primeira-dama e ex-presidente do FSS, Carla Morando, também deputada estadual eleita, do vice-prefeito Marcelo Lima, da presidente do FSS, Greici Picolo Morseli, demais secretários, vereadores da base aliada e demais autoridades.
 
“O conhecimento transforma vidas. O Fundo Social mudou a vida de cerca de 200 por meio dos cursos de capacitação profissional nas áreas de Padaria Artesanal e Construção Civil. Como gestor, acredito que as políticas públicas – especialmente as focadas na geração de emprego e renda – devem investir na capacitação e qualificação profissional. Entendo que, quanto mais formação o trabalhador tenha, melhor preparado estará para buscar oportunidades. Como diz a sabedoria popular, é o ensinar a pescar do que dar o peixe”, afirmou o chefe do Executivo.
 
Realizado por meio de parceria com o Governo do Estado e com a Fundação Criança, os cursos de Padaria Artesanal e Construção Civil ocorreram ao longo do ano no Parque São Bernardo. O curso de Padaria Artesanal teve 24 turmas no qual os beneficiados aprenderam 10 tipos de pães, condições de armazenagem, técnicas de higiene e manuseio, economia, cálculo e lições para evitar o desperdício na cozinha, em 16 horas.
 
Já o de Construção Civil foi dividido em duas áreas: formação em Pedreiro e Assentador de Azulejos, com quatro turmas cada, ministrados em dois meses. Entre as atividades aprendidas estão o assentamento de azulejos e tijolos na construção de paredes, muros, escadas, vigas, lajes, telhados, entre outros.
 
A primeira-dama e deputada estadual eleita, Carla Morando, destaca a importância da iniciativa. “O papel do Fundo Social é muito maior do que a benevolência. Também temos a missão de preparar os cidadãos para novas oportunidades de trabalho ou para empreender. E os cursos profissionalizantes vão de encontro a esses objetivos”, afirmou Carla, também ex-presidente do FSS que trouxe a iniciativa justamente em sua gestão.
 
O cerimonialista Alex de Oliveira, 38 anos, que fez o curso de Padaria Artesanal, foi o orador da turma. Oliveira, durante a sua fala, fez questão de agradecer pela oportunidade de aprender uma nova função e ter um “Plano B”. “Aprender coisas novas é sempre muito bom. Gosto muito da área de gastronomia e vi que é muito bom ter uma carta na manga, caso fique difícil de encontrar trabalho. Mas para muitas pessoas da minha turma, formar-se nesse curso de tornou o “Plano A”, tenho muitos colegas que estão empreendendo”, afirmou.
Redação