Prefeitura de São Bernardo oferece prêmio de reconhecimento a professores

Ao todo, 13 professores receberam medalhas por seus trabalhos realizados na rede municipal. Foram eles: Andreia da Silva Pereira, Ivan Oliveira da Silva, Carmem Lúcia Sturion de Carvalho, Luisa Defavari Ferreira, Eliete de Moura Beserra Sturari, Maria Clara Patrício Marques, José David de Sousa, Viviane de Almeida Ferreira Baffi, Marina Linhares Geraldo, Michele Alexandrino Gomes, Olga Kikue Takinami, Mauro Batista da Rosa Junior e Verônica Gomes dos Santos. Os homenageados desempenham diversas funções na estrutura da Administração, alguns são diretores, outros coordenadores e boa parte trabalha como professor da rede.
 

Para o prefeito Orlando Morando, o encontro foi uma oportunidade para conhecer o trabalho desenvolvido por profissionais da rede municipal de Educação.

 
HOMENAGEADOS – A professora Andreia da Silva Pereira desenvolveu o projeto “Tecnologias digitais e o protagonismo na escola”, na EMEB José Ibiapino Franklin, enquanto o diretor da EMEB Maurício Caetano de Castro II, Ivan Oliveira da Silva, é escritor infantil, tendo publicado os livros “Você, um campeão.” (Torne-se um craque em finanças) e o de conto de mistério “O dia inesquecível”.
 
A professora Carmem Lúcia Sturion de Carvalho é a profissional com maior tempo de docência atuando na rede municipal. O trabalho direto com alunos imigrantes do Oriente Médio foi o destaque na premiação da professora Luisa Defavari Ferreira. Além disso, as educadoras Eliete de Moura Beserra Sturari e Maria Clara Patrício Marques desenvolveram uma campanha de conscientização sobre a vacinação contra a febre amarela.  Já o diretor José David de Sousa lidera as ações da EMEB Anita Magrini Guedes, que receberam diversos prêmios de sustentabilidade.
 
A professora Viviane de Almeida Ferreira Baffi trabalha diversos temas ligados ao uso da literatura nas idades iniciais e foi destacada no 11º Prêmio Professores do Brasil, oferecido pelo Ministério da Educação (MEC). O destaque para a profissional Marina Linhares Geraldo veio pela missão que fará ao Nepal, em 2019, quando lecionará voluntariamente para crianças do país asiático.
 
Michele Alexandrino Gomes foi premiada por sua atuação no voluntariado, enquanto o professor Mauro Batista da Rosa Junior foi finalista do Prêmio Educador Nota 10, oferecido neste ano pela Fundação Victor Civita. Por sua vez, a inclusão e a inovação também foram valorizadas, por meio das professoras Olga Kikue Takinami e Verônica Gomes dos Santos. No caso da primeira, o atendimento e ensino para cegos são destaque, enquanto na segunda, a aprendizagem criativa oferece impacto na vida de vários estudantes.
 
SOBRE A DATA – O dia dos professores, celebrado em 15 de outubro, passou a ser comemorado em 1947, quando um professor paulista teve a ideia de homenagear os professores em referência ao decreto de 1827 de Dom Pedro I, que determinava que “todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras” (hoje, Ensino Fundamental). A ideia surgiu porque o período letivo do segundo semestre escolar era muito longo, ia de 1 de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias em todo o período. 

Com isso, um pequeno grupo de quatro professores, liderados por Samuel Becker, fez a proposta de organizar um dia de folga para amenizar o cansaço e analisar as expectativas para o restante do ano letivo. A ideia foi aceita e a comemoração contou não só com professores, mas também com alunos em um momento de

partilha e confraternização.

Redação