Presidente da câmara defende liberação de jogos de azar

Da redação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), eleito na última semana, defendeu neste sábado (16) a liberação de jogos de azar, como cassinos e bingos. Diversos projetos sobre o tema tramitam na Câmara e no Senado.

“Hoje, o Brasil tem oito mil máquinas clandestinas e ninguém faz nada. Ou a gente caminha para uma coisa séria, ou vamos acabar com o que tem, porque se está lavando dinheiro todo dia”, completou o novo presidente da Câmara.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) chegou a listar entre as prioridades da Casa a votação do projeto de lei que legaliza a exploração de jogos de azar no país. O texto, no entanto, não chegou a ser votado antes do chamado “recesso branco”, que vai de 18 a 31 de julho.

Jogos de azar são aqueles que envolvem apostas em dinheiro e que o resultado, de ganha ou perda de valores, depende preponderantemente da sorte. O projeto define quais jogos podem ou não ser explorados, os critérios para concessão de autorização e as regras para distribuição de prêmios e arrecadação de tributos.

De um lado, os defensores da proposta justificam que a legalização vai aumentar a arrecadação de impostos, além de gerar empregos e desenvolver o turismo. Do outro lado, opositores afirmam que liberar o jogo é abrir uma porta para a lavagem de dinheiro no país.

Olimpíada
Ainda neste sábado, Rodrigo Maia disse que a Câmara vai trabalhar dois dias por semana durante a Olimpíada, que começa no dia 5 de agosto e vai até o dia 21 do mesmo mês. O objetivo, segundo ele, é agilizar as votações consideradas fundamentais.