Presidente do Botafogo critica postura do São Paulo em relação a Ricardo Gomes

Carlos Eduardo Pereira não gostou da forma como o Tricolor agiu (Gazeta Esportiva)
Carlos Eduardo Pereira não gostou da forma como o Tricolor agiu (Gazeta Esportiva)

A vitória do Botafogo sobre o São Paulo valeu mais do que os três pontos. Pelo menos para o presidente alvinegro Carlos Eduardo Pereira, o triunfo em pleno Morumbi teve gostinho de vingança depois da perda do técnico Ricardo Gomes para o rival. “Não houve qualquer contato do São Paulo com a gente. Acho que o Leco poderia ter me ligado”, lamentou Pereira, referindo-se ao presidente do Tricolor. Nesta entrevista exclusiva ao Blog, o mandatário botafoguense falou sobre a saída de Ricardo Gomes, seu substituto, luta contra o rebaixamento…

BLOG: O São Paulo fez algum contato com o senhor em relação ao interesse pelo Ricardo Gomes?
CARLOS EDUARDO PEREIRA: Não houve qualquer contato do São Paulo com a gente. Acho que o Leco poderia ter me ligado, mas já não me espanto com nada no futebol, sabia?

O senhor tentou convencer o Ricardo Gomes a dirigir o Botafogo ontem?
Não. Entendíamos que não seria bom para todas as partes que ele comandasse o time. Mas a rescisão do contrato só será assinada amanhã. Até este momento, ele segue funcionário do Botafogo.

Por que não foi feita a prorrogação do contrato, que valeria multa de R$ 1 milhão ao Botafogo em um caso como esse?
Nós, do Botafogo, entendemos que não seria bom criar essa multa. Colocamos todas as contas do clube em dia, está todo rigorosamente em dia em relação a salários, FGTS e tudo mais.

Há quem garanta que o Ricardo Gomes saiu porque reforços prometidos não foram atendidos. Isso é verdade?
Não. O Ricardo nunca me indicou ou fez pedido de qualquer jogador. Não havia qualquer compromisso nosso em relação a isso.

E por que ele trocaria o Botafogo pelo São Paulo?
Imagino que a oferta financeira do São Paulo tenha sido muito boa. Nós reajustamos o salário do Ricardo em maio, depois da oferta do Cruzeiro (o treinador ganhava R$ 100 mil e passou a receber R$ 280 mil). Tudo em carteira. Também havia uma cláusula de compensação que previa aumento de salário para R$ 350 mil se o Botafogo terminasse o Brasileirão entre os dez primeiros.

O Jair Ventura será mesmo o substituto do Ricardo Gomes?
Com certeza. Ele conhece profundamente o grupo. Se contratássemos alguém, levaria tempo até que esse novo profissional descobrisse bem as características do grupo e não temos esse tempo.

Dá para cravar que o Botafogo não será rebaixado?
Estou muito confiante. Com a vitória, chegamos a uma posição bem menos delicada (13º lugar) e com uma partida a menos do que todos os demais (pega o Grêmio no dia 4 de setembro, em jogo da 19ª rodada). Sem contar que agora temos nossa arena, onde conseguimos bons resultados (duas vitórias e um empate).