Quer apimentar a relação? Que tal fazer amor nas alturas?

90358055_3a9f9843-1cfc-4d02-894e-fb43b5148583Da redação

Empresas americanas estão buscando explorar o mercado de “sexo nas alturas”, e tornando essa fantasia uma realidade. Em inglês, existe até um termo popular, o “mile-high club” (o clube da milha de altura), para designar o clube “exclusivo” das pessoas que tiveram relações sexuais durante um voo.

A Flamingo Air – empresa aérea de voos charter em Cincinnati, nos Estados Unidos, por exemplo, oferece voos de uma hora por US$ 495, em um avião privado, com cortinas que te separam do piloto”.

A empresa oferece o serviço desde 1991, e garante que o segredo para o sucesso nesse ramo é enfatizar que os voos oferecem romance, e não simplesmente sexo. Isso ajuda a explicar porque a empresa apresenta os serviços como “voos românticos”.

A Flamingo Air realiza cerca de três voos por semana. No entanto, perto da época do Valentine’s Day – o equivalente ao dia dos namorados nos EUA e na Europa -, em 14 de fevereiro, eles podem chegar a fazer dez voos por dia.

Mas nem todos pensam assim. Outra empresa aérea, baseada em Las Vegas, chamada Love Cloud (Nuvem do Amor, na tradução livre), oferece em seu site explicitamente o “Voo do Clube da Milha de Altura”.

 

Muitos conselheiros amorosos ou matrimoniais recomendam tais empresas a casais – até membros de organizações religiosas recomendam o serviço a casais em crise.