Rafaela Silva leva medalha de ouro calando críticos e preconceituosos

Da redação

Foto: Roberto Castro/ Brasil2016
Foto: Roberto Castro/ Brasil2016

Durante os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, Rafaela Silva era cotada como uma das favoritas à medalha olímpica, mas perdeu nas oitavas de final. Além da derrota, sofreu com racismo nas redes sociais, o que trouxe a tatuagem com a frase “só Deus sabe o que eu sofri e o que fiz para chegar até aqui”, expressão dos sentimentos da atleta.

Em 2013, a judoca que cresceu na Cidade de Deus se tornou campeã mundial. Ao chegar no Rio, preferiu o sossego e o foco

nos treinos, surtindo todo o efeito que desejava. Em 2011, foi prata no Pan-americano de Guadalajara, no México e, em 2015, conquistou a de bronze no Pan de Toronto, além de ser vice-campeã mundial em Paris 2011.

Ela passou por cima da atleta Dorjsürengiin Sumiya, da Mongólia, na final na categoria até 57 quilos feminino, conquistando o primeiro ouro do país no Rio 2016. Com um wazari, Rafaela conquistou 10 pontos e controlou a luta até o final.