Foto: Angelo Baima / PSA

Ontem (8), dia em que completa 468 anos, a cidade de Santo André ultrapassou a marca de 100 mil pessoas vacinadas contra a Covid-19. A Prefeitura começou a imunização no dia 19 de janeiro e, desde então, tem se destacado como referência em agilidade e organização na aplicação de doses das vacinas.

Até o momento, a Prefeitura vacinou 100.422 pessoas, o que equivale a aproximadamente 14% da população da cidade. Foram ao todo 135.567 vacinas aplicadas, sendo 100.422 aplicações de primeira dose e 35.145 de segunda dose.

“Planejamento, gestão e um trabalho incansável das nossas equipes da Saúde para vacinarmos com rapidez eficiência e segurança. Santo André é destaque na imunização contra a Covid-19, graças à estrutura que implantamos, com quatro drive-thrus e outros postos avançados de vacinação. Além disso, unimos esforços na busca por mais doses, para avançar e ampliar a imunização da nossa gente”, pontuou o prefeito Paulo Serra.

Ismael Pereira, de 68 anos, foi o munícipe de número 100 mil a receber a vacina contra a Covid-19. Ele foi imunizado nesta quinta-feira, no drive-thru do Paço Municipal. “Estou muito feliz e tenho muito orgulho desta cidade em que nasci”, comemorou o morador do bairro Santa Teresinha. “Todos precisam tomar a vacina, é muito importante e eu não senti dor nenhuma. O coronavírus não é brincadeira, temos que tomar cuidado porque é coisa séria”, pontuou.

Santo André recebeu até agora 166.528 doses de vacinas, tanto da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, quanto da Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz.

A vacinação que teve início em 19 de janeiro, data em que a cidade recebeu o primeiro lote de Coronavac, beneficiou inicialmente profissionais de saúde que estavam na linha de frente de combate à Covid-19 nos hospitais de campanha, Centro Hospitalar Municipal (CHM), Hospital da Mulher, nas seis Unidades de Pronto Atendimento, além dos profissionais do Samu. As vacinas também foram distribuídas para o Hospital Estadual Mário Covas e para os hospitais privados do município.

Além desses profissionais, idosos a partir de 60 anos em instituições de longa permanência, pessoas com deficiência acima de 18 anos que estivessem em residência inclusiva, indígenas e quilombolas, também foram imunizados na primeira etapa da campanha.

Deixe uma resposta