São Bernardo inicia transporte de vigas para o Viaduto da Praça dos Bombeiros

Da Redação
Em mais uma obra retomada em São Bernardo, os trabalhos de construção do Viaduto da Praça dos Bombeiros, no Jardim Irajá, ganharam mais um reforço, com o início do transporte das vigas que darão sustentação ao viaduto.  O processo começou na noite de sexta-feira (10/08) e tem como principal objetivo melhorar o trânsito na região.
 
Na visão do prefeito Orlando Morando, a movimentação dos equipamentos garante o avanço da execução da obra. “A operação será feita sempre no período noturno para dar mais segurança aos moradores do entorno. A previsão é que o viaduto seja concluído até junho de 2019. Havia o sentimento de que a obra não retornaria mais. Mas retornou e vai ficar pronta”, constatou.
 
O chefe do Executivo também destacou que a conclusão dos trabalhos trará benefícios para a cidade. “ É mais uma obra retomada, mais emprego e mais ação em São Bernardo. O viaduto vai melhorar o trânsito e garantir a Mobilidade Urbana no nosso município”, completou o prefeito.
 
O Viaduto da Praça dos Bombeiros faz parte do projeto do Corredor Leste Oeste conectará as avenidas Rotary e Luiz Pequini, transpondo a praça e aliviando o fluxo de veículos que circulam na rotatória, que dá acesso a cinco avenidas ramificadas para diversos bairros.
 
A ponte, quando concluída, terá extensão de 330 metros e quatro faixas de rolamento, sendo duas para cada pista, privilegiando a passagem do transporte público e fazendo a conexão com os futuros corredores exclusivos em obras na cidade.
 
O transporte de vigas iniciado contempla 14 vigas metálicas para a edificação do viaduto, liberando a Avenida Luiz Pequini, antes ocupadas pelas estruturas. Todo o equipamento foi alvo de auditoria do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
 
RETOMADA – Orçado em R$ 81,5 milhões, o projeto do viaduto da Praça dos Bombeiros foi abandonado em 2015, com 52% de execução, após exaurir repasses de aproximadamente R$ 42,4 milhões da União. A continuidade da construção será viabilizada por empréstimo captado junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), no ano passado, e que garantirá a aplicação de mais R$ 39 milhões para a conclusão do projeto.