Secretaria instala posto de vacinação no centro da cidade do Rio

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro começou hoje (14) a aplicar a vacina contra a febre amarela, no Centro Estadual de Diagnóstico por Imagem (Rio Imagem), no centro da cidade. A meta é vacinar 14 milhões de pessoas, sendo que 10,7 milhões já foram imunizadas.

O centro de diagnóstico fica na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio, a poucos metros da estação Central do Brasil, por onde passam o trem, o metrô, o VLT e dezenas de linhas de ônibus. O horário de atendimento é das 7h às 22h, apenas nos dias de semana.

No local, os cariocas não estão encontrando fila para receber a vacina, e o processo dura apenas o tempo de preencher a ficha, ser imunizado e levar o comprovante de vacinação.

O professor de educação física Marcos Barbosa, de 60 anos, ainda não tinha se vacinado por causa da idade. Ele precisava marcar uma consulta médica para ser avaliado antes da imunização e aproveitou que, no Rio Imagem, há um médico acompanhando a vacinação.

“Vim pegar um exame aqui e, por acaso, soube que estava tendo a vacinação. As pessoas mais velhas não podem dar margem para doença. Se prevenir é a melhor forma”, disse.

A estudante Daniela Lima de Souza, de 16 anos, foi ao Rio Imagem para fazer um exame e foi alertada por um agente de saúde enquanto esperava sua vez. “Antes, eu estava com medo de tomar a vacina, porque falaram que estava dando febre. Mas o meu namorado tomou e não teve nenhuma reação, então, vim tomar também”.

Funcionário de uma lanchonete na Rua Uruguaiana, Antônio da Silva Castanheira, de 52 anos, disse que estava passando quando notou a placa de vacinação.”Foi só preencher a ficha, e a mulher me deu logo a injeção. Eu estava sem tempo para ir em outro lugar e ficar na fila”.

Balanço

Na terça-feira (13), a Secretaria Estadual de Saúde divulgou boletim sobre a situação da febre amarela no estado, que já contabiliza 70 mortes provocadas pela doença. Ao todo 150 casos foram confirmados, todos do tipo silvestre.

Os municípios com maior incidência da doença são Angra dos Reis, com 40 casos e 14 mortes; e Valença, com 18 casos e 6 mortes, ambos ficam na região Sul do Estado.

Fonte: Agência Brasil