Para evitar eliminação, Brasil tentará voltar a marcar após 250 minutos de jejum

Da redação

fb0fc07bc9e02fcbc53b10fad3ea8597A Seleção Brasileira entra em campo hoje, às 22h, na Arena Fonte Nova, para encarar a Dinamarca, atual líder do grupo A. A partida promete ser nervosa e difícil para o Brasil, que carrega vexames recentes nas costas, além de nunca ter conseguido um ouro olímpico. Se o Brasil vencer, pode chegar à liderança. Se perder ou empatar, tem chances de eliminação.

O ataque Neymar, Gabriel Jesus e Gabigol custa R$ 866 milhões, valor que poderia comprar qualquer seleção que disputa a competição. Finalizando 40 vezes no gol em dois jogos, a seleção acertou apenas 11 vezes o alvo. O Brasil sofre com a falta de triangulação ofensiva, o que prejudica a criação de jogadas e afasta as linhas no campo.

O Brasil tem oscilado nas partidas, principalmente durante a falta de apoio da torcida. Esse fator causa nervosismo aos jogadores, que tomam decisões precipitadas e ficam expostos na defesa. O que não tira em nada a falta de efetividade do time. Gabriel Jesus já errou gol sem goleiro, Neymar segura a bola constantemente e prejudica a criação de jogadas e Gabigol, provavelmente o mais criativo, apesar de segurar a bola em diversas oportunidades.

Neymar não marca um gol desde 8 de setembro do ano passado, quando balançou as redes em um amistoso contra os Estados Unidos. Já em jogos oficiais, Neymar marcou contra o Peru, na estreia da Copa América de 2015.

Provável escalação: Weverton; Zeca, Marquinhos, Rodrigo Caio e Douglas Santos (William); Rodrigo Dourado; Walace e Renato Augusto; Gabriel, Luan, Gabriel Jesus e Neymar.