Sócio entra na justiça contra Odebrecht por obras da arena

Arena_Corinthians_PitchDa redação

O sócio do Corinthians, Roberto Willian Miguel – conhecido como Libanês, protocolou requerimento na presidência e no Conselho Deliberativo do clube pedindo que a diretoria tome medidas judiciais contra a Odebrecht por não ter concluído a arena alvinegra.

O documento assinado pelo advogado Edmilson Norberto Barbato, pede que o os presidentes – Roberto de Andrade e Guilherme Gonçalves Strenger, solicitem ao juiz Sérgio Moro cópias de eventuais inquéritos e processos envolvendo a arena Corinthians.

Depois dessas explicações, é necessário que “sejam promovidas sem maiores delongas todas as medidas judiciais cabíveis para resguardar os interesses” do clube contra a Odebrecht, ou o fundo que administra a arena, ou ainda terceira pessoa jurídica que possa ser considerada responsável.

Vale ressaltar que, o vice-presidente do clube, André Luiz Oliveira – conhecido como André Negão, e o ex-presidente do clube, Andrés Sanches, são alvo de uma condução coercitiva na operação Lava Jato. Oliveira trabalha no gabinete político da Andrés – deputado federal pelo PT em São Paulo.

Histórico

A construtora Odebrecht deu a obra por encerrada no ano passado e entregou o estádio de maneira bem diferente em relação ao projeto inicial. Recentemente, o clube contratou uma empresa para fazer a auditoria que vai determinar se a Odebrecht deixou de realizar obras pelas quais o clube tem que pagar. Só depois da conclusão desse trabalho a diretoria vai conversar com a construtora sobre o que fazer. A ideia é descontar do preço final o que não tenha sido feito.