Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

A comunidade de Heliópolis, a maior de São Paulo e uma das maiores do país, está pedindo doações para enfrentar o período mais grave da pandemia de covid-19. Alimentos e produtos básicos de higiene e limpeza poderão ser doados por meio do site da União de Núcleos, Associações dos Moradores de Heliópolis e Região (Unas).

De acordo com a Unas, as doações tiveram forte queda em 2021. Ao longo do ano passado, cerca de 40 mil cestas básicas, resultado das doações, foram distribuídas aos moradores da comunidade. De janeiro até o começo de março de 2021, entretanto, foram doadas apenas 350 cestas.

Pesquisa realizada pela Unas, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e pelo Observatório de Olho na Quebrada, com dados de abril a novembro de 2020, mostrou que durante a pandemia, faltou alimento na casa de 22% dos entrevistados, 65% disseram que precisaram diminuir a quantidade de alimentos nas refeições e 73% afirmaram ter dificuldade financeira para comprar botijão de gás.

“Atualmente, temos um complicador, que é a alta nos preços dos produtos. O arroz está muito mais caro do que na época em que fizemos a pesquisa. A proteína está muito mais cara. Esse resultado já é assustador, mas era uma outra realidade no preço [quando ocorreu a pesquisa]. Hoje, isso pode ter se agravado”, destacou Douglas Cavalcante, da Unas.

Segundo Cavalcante, a Unas tem, atualmente, 27 mil famílias da comunidade cadastradas na fila para receber as cestas básicas. Os alimentos são distribuídos em oito núcleos dentro da favela, organizados pelos próprios moradores. Vivem na favela, localizada na região sudeste da capital paulista, aproximadamente 200 mil pessoas em uma área de cerca de 1 milhão de metros quadrados.

Além da distribuição das doações, os moradores tem apoio da Unas, no uso de carros de som e no convencimento boca a boca das pessoas para reforçar a atenção às medidas que evitam o contágio da covid-19.

Deixe uma resposta