Submarino desaparecido só tem mais um dia de oxigênio, diz Marinha argentina

A Marinha da Argentina advertiu hoje (22) que o submarino desaparecido há uma semana com 44 pessoas a bordo entrou em uma fase “crítica” quanto à disponibilidade de oxigênio e informou que, por enquanto, não foi estabelecido “nenhum tipo de contato” com a embarcação.

O capitão Enrique Balbi, porta-voz da força naval, revelou que ontem (21) à tarde um navio americano tinha avistado dois sinalizadores brancos e um laranja na área de busca do ARA San Juan, por isso foram enviadas outras três unidades marítimas e uma aeronave.

No entanto, após rastrear a área de forma acústica com sonares e com imagens térmicas em infravermelho, além de um “detector de anomalias magnéticas”, foi comprovado que não há “nenhum tipo” de indício para comprovar que os artefatos foram lançados do submarino.

O porta-voz da Marinha disse que hoje é “um dia ótimo” para a exploração aérea e marítima graças à melhora das condições climáticas, mas que a partir de amanhã (23) a situação “começa a complicar novamente”. Balbi pediu às famílias dos 44 tripulantes que mantenham a esperança.