A proibição de vendas de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos comerciais do Grande ABC, nesta semana de feriados adiantados que vão até o domingo de Páscoa, foi tomada em conjunto pelos prefeitos como medida de combate à pandemia. Porém, decisões judiciais já autorizam supermercados de Santo André, São Bernardo, Diadema e Ribeirão Pires a realizarem a comercialização durante o período.

Na última semana, a medida foi anunciada como forma de conter as aglomerações, incentivadas pelo consumo de bebidas. Mas, para o diretor de relações institucionais da Apas (Associação Paulista de Supermercados), Rodrigo Marinheiro, a medida é ineficaz, mesmo com “a melhor das intenções.”

“Os dois produtos mais contrabandeados do Brasil são o cigarro e a bebida alcoólica, mesmo que ambos sejam comercializados normalmente. Iniciativas como essas, acabam fortalecendo o crime organizado e as forças de segurança já estão trabalhando exaustivamente para combater os encontros clandestinos. Precisa-se se pensar nessas consequências, porque isso não combate a pandemia. As pessoas não vão deixar de beber”, afirmou.

A Apas conseguiu restabelecer a venda nos mercados de Diadema, em liminar proferida ontem pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A associação também obteve decisões favoráveis em São Bernardo e Ribeirão Pires. Em Santo André, a Justiça atendeu a um pedido da Abrasel SP (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes Seccional São Paulo) e atinge também supermercados associados à entidade.

A proibição das vendas segue em São Caetano e Rio Grande da Serra. Em Mauá, a venda é permitida até as 17h em delivery ou drive-thru.

Para o diretor do Supermercado Joanin, Alécio Castaldelli Júnior, o próprio consumidor se antecipou, ao saber das mudanças. e fez as compras de bebidas como cervejas e vinhos antes da semana santa. Mas, que por existir uma proximidade entre as lojas, “alguns clientes costumam frequentar mais de uma unidade e acabam estranhando a situação”, afirmou. Mesmo assim, ele disse que a hora é de “contribuir da melhor maneira possível.”

Questionada, a Prefeitura de Santo André informou que existem bares, mercados e outros estabelecimentos que, por meio de liminar na Justiça, conseguiram a autorização, mas que a proibição segue até domingo quando haverá um novo encontro on-line em reunião do Consórcio Intermunicipal para debater as próximas medidas. A Prefeitura de São Bernardo informou que recorre da decisão. Diadema disse que não foi comunicada.

Deixe uma resposta