Temer repudia e nega acusações de Machado

Temer durante coletiva no Palácio do Planalto nesta quinta-feira (16) Foto: EBC Brasil
Temer durante coletiva no Palácio
Foto: EBC Brasil

Da redação

Acusado pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, de pedir recursos ilícitos para a campanha do então candidato à prefeitura de São Paulo, em 2012, Gabriel Chalita, o presidente interino, Michel Temer (PMDB) classificou na manhã desta quinta-feira (16), como “manifestação irresponsável”, “leviana”, “criminosa” e “mentirosa”.

“Quero registrar, nada embaraçará nossa missão, nossa tarefa de fazer com que nesse período que estou à frente da Presidência da República, com uma equipe econômica extraordinária, nada impedirá que nós continuemos a trabalhar em prol do Brasil e do povo brasileiro”, disse Temer em pronunciamento à imprensa, no Palácio do Planalto.

Entenda o caso:

Sérgio Machado, que prestou vários depoimentos no âmbito das investigações da Operação Lava Jato, em acordo de delação premiada, disse que Michel Temer negociou com ele o repasse de R$ 1,5 milhão em propina para financiar a campanha de Chalita. Os recursos teriam sido dados pela construtora Queiroz Galvão. Segundo Machado, a negociação aconteceu em setembro de 2012 na Base Aérea de Brasília e o repasse foi feito pela construtora.

Em nota divulgada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República na última quarta-feira (15), o presidente afirmou ser “absolutamente inverídica” a versão.