Trabalhadores cogitam acampamento na Yoki

Da redação

Na próxima segunda-feira (01), será realizada nova reunião entre a empresa  Yoki, sindicato e os trabalhadores. Porém, caso a negociação não seja concluída nas próximas semanas o sindicato cogita acampar no local.

A empresa recusou a proposta de manter a fábrica em São Bernardo, mas aceitou negociar os itens do pacote de demissão e outros fatores.

Sindicato e trabalhadores elaboraram uma pauta onde é reivindicado pagamento de multa na ordem de R$ 20 mil a cada um dos cerca de 300 demitidos por assédio moral; bonificação de dois salários nominais por ano trabalhado; assistência médica e cesta básica por 18 meses; garantia de pagamento do plano de metas referente aos anos 2016 e 2017; assessoria para recolocação no mercado de trabalho; entre outros.

A pauta ainda inclui itens aos funcionários na área administrativa que permanecerão na unidade, com reivindicação de 24 meses de garantia de estabilidade, além de cláusulas para os trabalhadores que receberam convite de transferência para outras unidades fabris da empresa, como estabilidade de 30 meses, reajuste salarial de 25% e auxílio de custo para a mudança.