Inspirada pelo legado do Sínodo Diocesano, a Diocese de Santo André celebra o aniversário de 67 anos de sua criação nesta quinta-feira (22), numa trajetória marcada por uma Igreja cada vez mais acolhedora aos irmãos e propagadora da Palavra de Deus, inspirada pelos ensinamentos de Jesus Cristo, fazendo com que “o sonho missionário chegue a todos”.

Para comemorar esse dia juntamente com os diocesanos, a Santa Missa em Ação de Graças será presidida pelo bispo diocesano Dom Pedro Carlos Cipollini, às 18h, na Catedral Nossa Senhora do Carmo, no Centro da cidade andreense, com transmissão pelas mídias diocesanas Facebook e Youtube.

A celebração, que atenderá a todas as medidas sanitárias de distanciamento social, uso de máscaras e álcool em gel, será aberta à presença de fiéis e ocorre em pleno contexto da pandemia da Covid-19, que nos trouxe um debate atual de como estamos fazendo com que a mensagem do evangelho chegue a todos e se os ensinamentos cristãos da acolhida, missionariedade e caridade estão sendo colocados em prática nestes tempos em que milhares de famílias necessitam de apoio espiritual e material.

 

8º Plano Diocesano de Pastoral

 

E a ação na Diocese de Santo André, composta pelos sete municípios do ABC (Santo André, São Bernardo, São Caetano, Mauá, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra), é norteada pela prioridade eleita para o quinquênio 2018- 2022: “Ser uma Igreja que fortaleça a Cultura e a Espiritualidade do Acolhimento em permanente Ação Missionária”, consolidada nos itinerários do 8º Plano Diocesano de Pastoral, que tratam da importância da evangelização, da formação, da comunicação, da articulação das pastorais e movimentos, e da solidariedade, entre outros temas.

Um dos frutos concretos do Sínodo Diocesano (2016-2017) é a criação do Vicariato Episcopal para a Caridade Social, em novembro de 2019, às vésperas do início da pandemia, e que hoje tem uma importância essencial para organizar ações de caridade nas dez regiões pastorais, nas paróquias, nas capelas, nas comunidades, a fim de socorrer as famílias carentes e pessoas em situação de vulnerabilidade social que necessitam de ajuda urgente, por meio de campanhas de arrecadação de alimentos e agasalhos.

Sinodalidade como modo de ser Igreja

 

Em sintonia com a Igreja no Brasil e no mundo, a Diocese de Santo André também se mostra participativa na Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe que acontecerá em novembro de 2021, e no Sínodo dos Bispos, cuja assembleia ocorrerá em outubro de 2023, através do processo de diálogo e escuta de leigos, sacerdotes, missionários, consagrados, bispos e cardeais. São propostas do Papa Francisco visando a sinodalidade como um modo de ser Igreja.

Nesta caminhada de 67 anos e com a experiência do 1º Sínodo Diocesano, a Diocese de Santo André prossegue trilhando esse itinerário de evangelização e promoção humana por um mundo mais justo e fraterno!

 

Sobre a história da Diocese de Santo André

 

Desmembrada da Arquidiocese de São Paulo, a Diocese de Santo André foi criada pelo Papa Pio XII; no dia 22 de julho de 1954; e  integrada pelos sete municípios do Grande ABC: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Mauá, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Dom Jorge Marcos de Oliveira é o primeiro bispo diocesano, que permaneceu na função até 1975, renunciando ao cargo por motivos de saúde. Neste período de duas décadas, a Diocese de Santo André age em sintonia com o crescimento urbano e industrial na região; bem como é protagonista da ação social nas greves e na realidade operária. O período difícil dos primeiros anos da Ditadura Militar marcam a identidade diocesana na luta pelos Direitos Humanos.

Nomeado em 1975, Dom Cláudio Hummes vive seu ministério articulando a vida pastoral e a ação social. Grande é a movimentação da Diocese em vista da redemocratização do país. A Igreja Diocesana cresce na vida missionária e em número de comunidades. Em 1996  nomeado arcebispo de Fortaleza e dois anos depois, assumiu a Arquidiocese de São Paulo.

Entre 1997 e 2003, Dom Décio Pereira – que faleceu em fevereiro de 2003; – exerceu o episcopado na Diocese organizando os anos missionário e vocacional; com uma grande animação da catequese e da juventude. Nesse período são nomeados bispos Dom Manuel Parrado Carral e Dom Airton José dos Santos (padres de nossa diocese), sendo este o bispo auxiliar.

Em novembro de 2003, Dom Nelson Westrupp e nomeado bispo da Diocese de Santo André e permanece na função até maio de 2015. Durante seu episcopado realizam-se as assembleias pastorais e a construção do Edifício Santo André Apóstolo (sede da Cúria Diocesana). Atualmente, Dom Nelson é bispo emérito da Diocese de Santo André.

Em julho de 2015, o atual bispo Dom Pedro Carlos Cipollini assume a Diocese de Santo André. Sao lançadas as visitas pastorais e acontece o 1º Sínodo Diocesano no biênio 2016-2017; que propõe uma caminhada acolhedora e missionária da Igreja Católica na região. A Constituição Sinodal e lançada no dia 6 de abril de 2018; com os oito itinerários do 8º Plano Diocesano de Pastoral; que vigora durante o quinquênio (2018-2022). A criação do Vicariato Episcopal para a Caridade Social acontece no dia 30 de novembro de 2019; durante a celebração do padroeiro da diocese, Santo André.

Deixe uma resposta