JEFFERSON SEVERINO

Enquanto isso, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) pediu aos estados que sigam as novas orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre viagens internacionais, que recomendam uma “abordagem baseada no risco” para a adoção de medidas relacionadas à Covid-19 e viagens internacionais. Especificamente, a OMS recomendou que os governos não exijam comprovante de vacinação como condição obrigatória para entrada ou saída do país; relaxamento das medidas de teste e/ou quarentena para viajantes que estiverem totalmente vacinados ou que tiveram Covid-19 confirmada nos últimos seis meses e que estejam recuperados; e que garantam métodos alternativos para indivíduos não vacinados por meio de testes para que possam fazer viagens internacionais.

“Essas recomendações sensatas baseadas no risco da OMS, se forem seguidas pelos Estados, permitirão a retomada das viagens aéreas internacionais, minimizando a chance de importação da Covid-19. Conforme a OMS observou – e os dados de teste mais recentes do Reino Unido confirmam;– os viajantes internacionais não são um grupo de alto risco para a Covid-19. Já passou da hora de os governos incorporarem dados ao processo de tomada de decisão baseado em risco para reabrir as fronteiras”, disse Willie Walsh, diretor geral da Iata.

A Air France retomou o voo diário da entre São Paulo (GRU) e Paris (CDG) a bordo do A350-900. Atualmente com cinco frequências semanais, a aérea aumentará em aproximadamente 30% a oferta de assentos; na ligação entre as capitais, chegando a 4,5 mil por semana.

A Air France-KLM está gradualmente e cuidadosamente reforçando as operações no Brasil, onde nunca deixou de voar. Esta retomada da Air France no Aeroporto de Guarulhos é um passo importante para a companhia, pois demonstra a nossa confiança no mercado brasileiro; e a oportunidade de levar ainda mais brasileiros à Europa, na medida em que o continente começa a reavaliar as restrições de circulação. O Grupo Air France-KLM contará com 22 frequências semanais ligando o Brasil à Europa. Serão 14 voos semanais com destino a Paris (CDG); e Amsterdã (AMS) partindo de São Paulo (GRU) e oito voos semanais com destino a Paris (CDG); e Amsterdã (MAS) a partir do Rio de Janeiro (GIG).

Deixe uma resposta